Como preparar os animais para a chegada do bebé | Décimo Mês

Prepare os seus animais para a chegada do bebé

Animais de estimação e bebés são os protagonistas de alguns dos vídeos mais fofos da internet, mas antes que possa testemunhar esses momentos na primeira pessoa, há um conjunto de precauções a tomar, ainda antes de levar o novo membro da família para casa. Afinal, há todo um novo conjunto de comportamentos a que terá de se habituar.

É sobretudo por isto que importa começar a treinar o animal algum tempo antes do parto. Seja para que deixe de subir para cima de camas e sofás ou para que perceba que há agora divisões interditas, caso queira manter estes espaços mais seguros para o bebé. A ideia é que esta mudança aconteça de forma lenta e gradual, para que o animal se consiga adaptar da melhor forma, sem sentir que está a ser punido por alguma coisa que não fez.

Image

Outra ideia que pode ajudar a suavizar a entrada do novo inquilino é o contacto com os cheiros dos produtos do bebé - os cremes, os champôs e, antes até do mais novo chegar a casa, de alguns tecidos que possam ter estado em contacto com ele. Desta forma, o animal terá tempo de se familiarizar com o cheiro do bebé e acabará por o assimilar como familiar.

É também importante que não rejeite o animal. Mantenha os níveis de atenção, dentro do possível, e mime-o como antes. Ao afastar-se, pode ajudar a construir a ideia de que o bebé é a razão para essa falta de atenção, o que fará com que o animal construa uma imagem menos positiva do bebé. Para evitar este afastamento, deve também começar a permitir uma aproximação do animal à criança, para que este se sinta integrado. Acompanhe de perto estes primeiros contactos; impeça as lambidelas, por mais instintivas que sejam e recompense uma abordagem calma e cuidada, para que o animal entenda que está a relacionar-se com um elemento frágil.

Nos primeiros três meses, o contacto direto não é recomendado, mas uma aproximação física pode dar-se, ainda assim. Os primeiros toques podem começar a acontecer entre os três e os seis meses do bebé.  Aliás, a partir do momento em que a criança começar a gatinhar, esse toque será inevitável. Mas antes disso, garanta que todas as vacinas do animal estão em dia.

Faça questão de proporcionar momentos alegres e tranquilos ao bebé e ao animal, principalmente quando ambos estão em contacto. Comece a corrigir o bebé na forma como interage com o animal e tente minimizar beliscões e puxões mais bruscos, para que o animal não sinta necessidade de se defender.

Image

Visite o veterinário periodicamente e mantenha a higiene do animal, para que não haja riscos de saúde associados.

Se tem animais em casa, vai ser sempre impossível impedir o contacto entre eles e a criança. A ideia a reter é que é possível fomentar uma relação saudável entre ambos, desde que se preocupe em garantir que há uma adaptação gradual do animal à presença de um bebé em casa. Além disso, o contacto pode impactar positivamente a saúde emocional das crianças, acalmá-las e ajudá-las a construir os seus primeiros laços de afeto.

O importante é que ambos se associem, mutuamente, a felicidade. Afinal, é deste encontro que vai nascer uma das primeiras amizades do seu filho.

https://www.babycentre.co.uk/x536374/how-can-our-pets-and-our-new-baby-live-together-safely-and-happily

https://www.purina.pt/cao/purina-one/articles/caes-e-criancas-lidar-com-caes-e-a-chegada-de-um-bebe

https://canaldopet.ig.com.br/curiosidades/2016-09-05/cachorro-chegada-bebe.html

https://www.healthline.com/health/baby/before-you-bring-home-baby-heres-how-to-prep-your-pets#Introducing-your-pet-to-your-baby