Se teve um bebé há pouco tempo, o mais provável é não ter posto o convívio social no topo da sua lista de prioridades. Não há dúvida nenhuma que agora está muito mais familiarizada com o seu roupão. A ideia de sair à noite, arranjada, pronta para uma saída até tarde, parece uma coisa de outro mundo. No seu estado actual, nem consegue imaginar que tal possa voltar a acontecer e isso pode fazê-la sentir que a sua vida social, tal como a conhecia antes, acabou de vez. Com o tempo voltarão as saídas à noite e vai apreciá-las mais porque serão mais as excepções do que a regra.

A não ser que tenha muita sorte, é pouco provável que todos no seu grupo de amigos mais próximo - convenientemente a viverem perto uns dos outros - tenham filhos ao mesmo tempo. É por isso extraordinariamente importante que encontre pessoas com quem falar sobre a fase que está a atravessar. É frequente encontrar outras mães recentes com todo o tipo de percursos de vida, educações e culturas. Talvez até nem escolhessem darem-se umas com as outras, mas têm um bebé em comum e estas mulheres serão uma excelente tábua de salvação para partilhar todos os seus pensamentos, ansiedades e sentimentos. As mães recentes com quem se cruza nesta fase podem tornar-se grandes amigas mesmo que se venham a afastar umas das outras, mas tê-la-ão ajudado a ultrapassar esta época turbulenta da sua vida.

À medida que o seu filho cresce, vai querer interessar-se por outros assuntos, mas no início o seu bebé vai absorvê-la completamente. Uma mãe com quem falei comentava que se ela tivesse iniciado um novo e entusiasmante emprego, que lhe ocupasse muito tempo, as pessoas à volta dela teriam tido todo o gosto em deixá-la falar longamente sobre o assunto. Por isso, por que razão sentia ela as pessoas a revirar os olhos quando queria falar sobre o seu bebé?

Sim, o mundo está cheio de pessoas que têm filhos, mas a sua experiência é única e muito importante para si, por isso procure as pessoas com que pode partilhar esses sentimentos. Se inicialmente for difícil encontrar com quem o possa fazer de forma profunda, então visite os fóruns online, as salas de chat e as redes de apoio, pois todos eles são locais ideais para partilhar experiências. 

 Tenho uma amiga sem filhos, que conheço desde que éramos pequenas que, nos últimos anos, ignorou permanentemente os meus convites para nos encontrarmos. Este é um dos aspetos mais difíceis com os quais temos de lidar. Se acabou de entrar no corajoso mundo da maternidade, pode acontecer ter de deixar para trás algumas amigas que não têm filhos e que talvez se sintam ressentidas ou zangadas. Com sorte a amizade vai resistir a isso, mas pode ser demasiado doloroso para elas estar consigo e você tem de respeitar essa vontade. É frequentemente assumido de forma errada serem as mães a afastar-se das mulheres sem filhos. Na verdade, ser mãe pode ser incrivelmente isolador e muitas pessoas sentem que foram elas a ser postas de lado. Num workshop que estou a dar, uma participante referiu que percebeu não ter sido convidada para alguns eventos, ao ver certas fotos dos acontecimentos no Facebook. Ela sentiu-se “convenientemente posta de lado”. Quando vir fotografias de antigos amigos em festas, lembre-se que isso é apenas um momento cuidadosamente editado das suas vidas. 

As pessoas com quem deve estar neste momento são aquelas com quem pode ser você mesma e a quem pode pedir ajuda se for o caso, não aquelas com quem precisa de utilizar uma máscara. Espera-se que aqui estejam incluídos amigos de longa data, familiares e novas amizades, que serão um fabuloso sistema de apoio. É importante não se afastar completamente do mundo. Se a ideia de uma saída à noite é demasiado assustadora, comece devagar. Organize um almoço ou um lanche com algumas amigas e vá sem o seu filho. Faça alguma coisa que seria difícil fazer com um bebé, como uma longa caminhada, ir ao cinema, ou mimar-se num spa. Depois de fazer isto a primeira vez, vai ser muito mais fácil. O principal obstáculo é dar autorização a si mesma para sair e divertir-se sem o seu bebé. 

Com dexpantenol. Para prevenção e tratamento do eritema da fralda e gretas do mamilo, pele seca, áspera ou gretada e cicatrização de lesões e irritações da pele. Contra-indicado no caso de sensibilidade a qualquer componente. Medicamento não sujeito a receita médica. Leia cuidadosamente o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o médico ou farmacêutico. L.PT.MKT.DC.12.2016.0113