Queridas mães, quero partilhar convosco um bocadinho da história da minha vida, mais propriamente o facto de ter ficado mãe solteira após o nascimento da minha segunda princesa. Um mês depois do meu parto fiquei a saber que o meu companheiro vivia contrariado connosco, já não existia harmonia familiar tudo por causa da existência de uma terceira pessoa já desde a minha gravidez. Fala-se bastante em depressão pós-parto. Sim eu tive pós-parto e pré-parto dadas as circunstâncias. Após a rotura da minha relação tive que lidar com todas essas emoções. Senti-me rejeitada e culpada pois tudo aconteceu na altura mais sensível da vida de uma mulher, na altura que nos sentimos menos atraentes, menos dispostas. Depois, ter que cuidar de dois seres inocentes. As tarefas, supostamente partilhadas a dois, ficaram sobre os meus ombros. Toda aquela alegria inerente ao momento estava mascarada de tristeza. Onde estava o pai, o companheiro? Quem me ajuda a ultrapassar esta dor? Dor que era difícil não transparecer para aquele ser que nunca saberia o que era viver com um pai e uma mãe juntos. Lidar com o facto daquele amor já não ser para a vida toda. Luto todos os dias, olhando para um futuro que não sei como será, mas com uma única certeza, darei às minhas princesas o melhor Amor do mundo.

Testemunho Sonia Costa

Pomada para a muda da fralda. Proteção e regeneração da pele do rabinho do bebé. Dermocosmético. L.PT.MKT.DC.06.2019.0144