Muitas mulheres perguntam-se se o sexo irá mudar depois do parto e se vão ter o mesmo prazer. Não nos podemos esquecer que a gravidez e o parto são um processo milagroso, mas também podem ser muito exigentes fisicamente (por alguma razão se chama trabalho de parto!). Por isso, quando perguntei a algumas mães o que pensavam sobre o assunto, não fiquei surpreendida quando vi que as suas preocupações não eram quando voltariam a fazê-lo, mas se alguma vez o voltariam a fazer! Quase todas afirmaram ter perdido algum desejo sexual nas primeiras semanas e queixaram-se de nunca terem um segundo para si próprias, quanto mais para o seu parceiro. O estado de profunda exaustão e de pura felicidade com o seu recém-nascido faz com que a ideia de estar deitada de costas esteja mais associada a dormir do que ao sexo. O sexo não é uma prioridade.

Há que admitir que uma Jovem Mamã Sensual não é a primeira coisa que vem à cabeça de uma mulher quando se olha ao espelho depois do parto. Você até pode ser uma das sortudas que regressa depressa à sua forma pré-gravidez (algumas mulheres optam por usar atalhos de cosmética) mas para as meras mortais são precisos 6 meses, mais coisa menos coisa. Se acha que é tempo demais, pense que precisou de nove meses para ficar desse tamanho.

Back in the bedroom

Muito depende do tipo de parto que se teve. O sexo pode estar posto de parte devido à necessidade de recuperar mais do que por falta de desejo ou vontade, especialmente se tiver de recuperar de uma episiotomia, cesariana ou lesões internas. A amamentação também pode ser um obstáculo às brincadeiras do casal: os seios sensíveis e doridos podem ser uma zona onde não quer ser tocada, nos primeiros tempos. Lembre-se que pode demorar algum tempo até a amamentação correr sem dificuldades. Muitas mulheres descobrem que podem começar a perder leite com o orgasmo. É uma reação natural que pode surpreender alguns dos parceiros. As alterações hormonais podem causar secura vaginal e recomenda-se o uso de um lubrificante. Quem pratica sexo anal deve ter cuidado com as hemorróidas, que são comuns depois do parto.

Se você é uma daquelas cuja libido parece ter emigrado, não se preocupe é só temporário.

Rina, com três filhos, conta-nos:

“O sexo depois da gravidez doía! Estava mesmo dorida, parecia que a minha vagina se tinha esquecido para que servia! O médico disse que era das hormonas e que eventualmente isso passaria (e passou, mas levou uma eternidade)”.

Por outro lado, as mulheres receiam que por não fazerem sexo podem estar a pôr pressão nas suas relações. Não há nada pior do que sentir-se pressionada a fazer sexo quando ainda não está preparada ou ter de “despachar o assunto”. Os homens, como sabemos, não são adivinhos, por isso a comunicação é importantíssima. Ajude-o a perceber que não o está a rejeitar pessoalmente a ele. Passar algum tempo nos preliminares pode ajudá-la, ou se lhe apetecer, sexo oral e masturbação mútua.

Jilly, com dois filhos e psicóloga clínica, escreve:

“A minha libido levou bastante tempo a reaparecer. Eu não me pressionei a fazer nada que não me apetecesse. A ideia de fazer um esforço para o nosso homem ficar satisfeito é péssima, e reflete a péssima atitude que temos para com os homens...”.

Esperar de nós que estejamos sensuais para além das avassaladoras exigências dos primeiros tempos de maternidade pode parecer algo impossível. Mas, por outro lado, Fiona com três filhos, escreve: “Arranjar tempo para ser outra coisa para além de máquina de fazer bebés e leite foi uma coisa muito positiva para mim.” O tempo é sempre uma questão importante e depende do apoio que se tiver. Toni aconselha: “Aproveite todas as ofertas para lhe tomarem conta do bebé, e não se preocupe se o bebé estiver presente: ele já ouviu os sons enquanto estava na barriga”.

Há ainda quem ache que ter um bebé é muito sensual e tremendamente fortalecedor. Julietta escreveu: “Senti finalmente o que era ser mulher. Eu adorei o sexo durante a gravidez e depois! Da primeira vez fomos com calma e o meu parceiro foi muito cuidadoso”. Não há nada mais sensual e atraente do que uma mulher confiante e à vontade com o seu corpo.

Então, quando é que a maior parte das mulheres retoma as relações sexuais com os seus parceiros? A pesquisa mostra que às seis semanas, 41% das mães pela primeira vez que tiveram partos vaginais já tinham tido sexo com penetração, subindo para os 78% às 12 semanas. No entanto se o parto foi intervencionado, ou seja, um parto vaginal com intervenção médica, uma cesariana ou se a mulher teve rasgão ou episiotomia, as relações só aconteceram mais tarde.

Ao longo do tempo as recomendações médicas mudaram mas o melhor conselho é esperar três semanas ou pelo menos até o sangramento parar para dar tempo ao útero para sarar. Mais importante é esperar até se sentir pronta. Pode levar semanas ou até meses, mas fique descansada, porque mais cedo ou mais tarde, vai acontecer.

Com dexpantenol. Para prevenção e tratamento do eritema da fralda e gretas do mamilo, pele seca, áspera ou gretada e cicatrização de lesões e irritações da pele. Contra-indicado no caso de sensibilidade a qualquer componente. Medicamento não sujeito a receita médica. Leia cuidadosamente o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o médico ou farmacêutico. L.PT.MKT.DC.12.2016.0113