Quando um casal vê o seu bebé pela primeira vez, geralmente fica assoberbado de amor e admiração, tanto em relação ao filho, como em relação a cada um deles, por terem criado aquele ser maravilhoso. Mas andando para a frente alguns dias ou semanas, a história pode ficar ligeiramente diferente. O bebé continua a ser uma fonte de encantamento e alegria, mas eles vêem-se a colidir um com o outro e a sentirem-se ressentidos.

Não fazia ideia que a nossa relação iria mudar tanto. Agora parece que somos cuidadores que vivem juntos. Falamos sobre as necessidades do nosso filho e tentamos organizar as dormidas, a alimentação e a mudança de fraldas, de forma justa e sem discutir

Uma parte da questão deve-se ao facto do bebé, apesar de ser o motivo de toda esta fricção, ser completamente inconsciente disso e de tudo o resto, à exceção da comida, do calor e do conforto e, como tal, não poder ser culpado. Vocês estão ambos exaustos e, sem dúvida nenhuma, já tiveram a vossa dose certa de ansiedade acerca do bem-estar do bebé. Resumindo, vão passar o vosso tempo todo a tomar conta da criança e não de vocês. A mãe passou por um duro golpe físico e emocional e vai sem dúvida nenhuma descarregar no parceiro a certa altura, que poderá sentir-se indefeso e posto de lado.

Assim sendo, o que fazer? Vamos concentrar-nos no problema principal. O cansaço provocado por várias noites mal dormidas origina danos em todas as pessoas. Por vezes a opinião transmitida é que o casamento está a passar por uma ‘fase má’, caso o pai durma ocasionalmente noutro quarto, como se tivesse sido expulso pelo bebé. Eu defendo que dois pais exaustos podem mais provavelmente provocar danos na família. Por isso, o meu primeiro conselho é que ambos tratem de potenciar ao máximo o tempo de dormir, talvez distribuindo a noite por turnos e colocando uma cama noutro quarto. Não é uma decisão para sempre, mas vai ajudar-vos na fase inicial.

Em segundo lugar, devem ser compreensivos com os sentimentos e as ansiedades do outro e tentar entender que ambos querem o melhor para o bebé. O pai, pode achar que a mãe está a reclamar e a criticar, mas ela está apenas a tentar perceber como funciona este novo mundo em que ela agora está. Para a mãe, o pai pode parecer ter-se apressado a regressar ‘ao seu’trabalho, sem considerar que ela está a ter um trabalho bastante difícil em casa. Ele estará provavelmente a sentir a responsabilidade adicional de ter de sustentar a sua família e quer fazer o seu melhor por ela.

Partindo daqui, apreciem aquilo que cada um fornece à família e sintam-se gratos por isso. É extremamente difícil ter a perceção do trabalho duro dos outros quando sentimos que o peso do mundo está em cima dos nossos ombros, mas se procurarem e se focarem no bem de cada um, esses traços positivos serão acentuados e funcionarão como um lembrete da vossa ligação emocional. Isto vai ser útil se tiverem de fazer alguma reclamação, que também é importante ser feita. Guardar as coisas dentro de nós não é nunca uma boa ideia, por isso sejam honestos um com o outro em relação às expectativas e ressentimentos, abordando os assuntos com as palavras ‘sinto que…’ em vez de ‘tu fazes sentir-me….’ É importante tomar as rédeas das vossas emoções.

Caso tenham havido palavras de zanga, dêem um tempo para ambos se acalmarem e refletirem sobre a razão pela qual cada um de vocês pode ter exagerado. Lembrem-se da questão referida anteriormente, em que ambos querem o melhor para a vossa família e tentem perdoar as coisas que possam ter sido ditas no calor do momento.

Por fim, não se esqueçam de mostrar o vosso apreço um pelo outro fisicamente. A ginástica no quarto vai estar fora da agenda durante uns tempos, mas abraços, festinhas, massagens e dar às mãos ajudam a manter forte e saudável a ligação existente entre o casal.

Com dexpantenol. Para prevenção e tratamento do eritema da fralda e gretas do mamilo, pele seca, áspera ou gretada e cicatrização de lesões e irritações da pele. Contra-indicado no caso de sensibilidade a qualquer componente. Medicamento não sujeito a receita médica. Leia cuidadosamente o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o médico ou farmacêutico. L.PT.MKT.DC.12.2016.0113