A amamentação é uma das fases mais importantes na vida de um bebé e na construção da relação entre mãe e filho, no entanto, cada mãe é livre de escolher o que é melhor para si e para o seu bebé. A amamentação só será bem-sucedida se for um processo feliz e confortável para ambas as partes. Vê-lo tão pequenino, no seu colo, poderá despertar-lhe algumas dúvidas e inseguranças, mas vai certamente fazê-la sentir vontade de o proteger e cuidar o melhor possível. Sabe que ele acabou de chegar e que precisa de si, mais do que ninguém, porque efetivamente o único mundo que ele conhece, por agora, é o seu peito e o calor do seu abraço. Num gesto instintivo, ele vai procurá-los em busca de conforto e de segurança. E isso é o melhor que lhe pode oferecer. A sua paciência, o seu cuidado e o seu amor vão reforçar o vosso vínculo afetivo, promover a saudável estruturação emocional, psicológica e cognitiva do bebé e contribuir substancialmente para o saudável crescimento da criança.

Os bebés precisam de mamar com frequência para aumentar a produção de leite durante o primeiro mês e mantê-la durante o restante período de amamentação. A maioria dos recém-nascidos perde peso após o parto e recupera durante as duas primeiras semanas, pelo que é muito importante não falhar as sessões de amamentação.

Quais os alimentos a evitar durante o período de amamentação

O leite materno é o alimento mais natural que poderá dar ao seu filho, sendo, por isso, melhor absorvido e tolerado pelo organismo do bebé. O primeiro leite que os seus seios produzem, o colostro, tem os mesmos ingredientes do leite que virá a produzir mais tarde, mas com níveis mais elevados de proteínas, anticorpos, glóbulos brancos, minerais e vitaminas, para ajudar o bebé a fortalecer mais rápido. Do quarto ao 25º dia, o leite amadurece e é designado leite de transição, com teores mais elevados de gordura, calorias e lactose. Às quatro semanas, o leite estará completamente maduro.

Mais do que em qualquer outra fase, é fundamental que, durante o período de amamentação, a mãe mantenha uma alimentação saudável, adequada às suas necessidades e às necessidades do bebé. O cuidado na seleção e confeção dos alimentos vai contribuir para uma rápida recuperação pós-parto, para fortalecer as energias e para uma adequada produção de leite materno. Lembre-se que tudo aquilo que ingerir, o seu bebé irá ingerir também, pelo que a alimentação certa e equilibrada vai potenciar todas as qualidades do leite, essencial na redução das cólicas e na prevenção de alergias e outras doenças infantis.
Nesse sentido, partilhamos consigo algumas recomendações, que poderá ter em conta durante o período de amamentação:

  • Minimize a quantidade de alimentos crus e opte preferencialmente por alimentos cozidos, grelhados e assados;
  • Exclua alimentos que produzam flatulência, como o leite, as leguminosas (grão- -de-bico, lentilhas, ervilhas) e alguns vegetais (brócolos, couve-flor, espargos);
  • Reduza o consumo de frutas como a banana, os citrinos e os frutos vermelhos;
  • Não coma produtos industrializados, nem refeições pré-confecionadas, que dispõem de alto teor de açúcares e gorduras saturadas;
  • Não beba chá preto, chá verde, café, álcool, bebidas gaseificadas e refrigerantes;
  • Não exagere no chocolate. À semelhança do café, o chocolate é uma fonte de cafeína e poderá deixar o seu bebé mais agitado;
  • Suprima os condimentos e as especiarias, porque irão alterar o sabor do leite;
  • Reduza o sal e os produtos salgados, potenciadores da retenção de líquidos;
  • Tenha particular atenção ao consumo de alho, alimentos picantes, canela, soja, ovos e nozes.

Evite usar leite de fórmula para complementar as sessões de amamentação, a menos que o seu o médico assim o recomende. Continue a dar mama ao seu bebé, ao ritmo e à frequência que ele determinar, para aumentar naturalmente a produção de leite. Se necessário, utilize um extrator.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) considera fundamental que o bebé possa ser amamentado, pelo menos, durante os primeiros seis meses de vida e que idealmente possa continuar a mamar até aos dois anos de idade, mesmo que já tenham sido introduzidos outros alimentos na sua dieta. Vários especialistas defendem inclusivamente que deverá ser a criança a fazer o desmame por sua própria vontade. Por isso, não tenha pressa, disfrute dessa relação especial entre mãe e filho e aproveite enquanto o tem abraçado a si.

Pomada para a muda da fralda. Proteção e regeneração da pele do rabinho do bebé. Dermocosmético. L.PT.MKT.DC.06.2019.0144