Posso contar-lhe um pequeno segredo? Adoro o meu corpo pós-gravidez. Não estava à espera, mas adoro.

Tal como muitas mulheres, ao crescer aprendi a odiar o meu corpo. Senti sempre que nunca chegava aos padrões socialmente aceites. Fui ensinada a criticar cada cova, cada pneu e cada gordurinha.

Nos meus vinte e trinta anos, revoltei-me. Deixei de ver televisão e de ler “revistas femininas”. Calei a voz crítica que existia no interior da minha cabeça. Regressei às aulas de ballet e comecei a correr. E a fazer alpinismo. E escalada. Comecei a gostar do meu corpo pelo que ele era capaz de fazer em vez de o detestar pelo que eu achava que ele parecia.

Quando engravidei, sentia-me confortável comigo mesma, embora estivesse a mentir se dissesse que não gastava muito tempo e energia a pensar qual a forma que o meu corpo iria ter após o parto.

Oito meses depois de ter dado à luz, só posso estar agradavelmente surpreendida com o meu corpo. Eu fiz crescer, alimentei e dei à luz um ser humano.

A mudança mais admirável que notei foi, no entanto, que até eu vejo o meu corpo de forma diferente. Quando me olho ao espelho, não me concentro nos defeitos que o meu eu pré-grávida escrutinaria e com os quais estaria obcecada. Em vez disso vejo grandes e poderosos braços que seguram e embalam o bebé. Coxas robustas esculpidas não por inúmeros agachamentos, mas horas passadas a embalá-lo para adormecer. Não que o meu corpo seja perfeito, mas quando olho para mim só vejo amor, força e beleza.

Não estava à espera de gostar do meu corpo pós-parto, mas gosto.

Com dexpantenol. Para prevenção e tratamento do eritema da fralda e gretas do mamilo, pele seca, áspera ou gretada e cicatrização de lesões e irritações da pele. Contra-indicado no caso de sensibilidade a qualquer componente. Medicamento não sujeito a receita médica. Leia cuidadosamente o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o médico ou farmacêutico. L.PT.MKT.DC.12.2016.0113