A fadiga pós parto é uma das maiores dificuldades da maternidade. O facto de ser normal não quer dizer que não a surpreenda. A exaustão é debilitante e quando combinada com o trabalho que dá ser mãe de um recém-nascido, a noção que tem de si própria pode ser abalada. Pode sentir-se vulnerável, irritadiça e, por vezes, com vontade de chorar e desesperada.

As pessoas esquecem-se frequentemente de como é esgotante ter um bebé tanto a nível físico como psicológico e emocional. Nos primeiros dias o canal de parto está dorido e continua a sangrar. Se fez um rasgão ou episiotomia sentirá dores e comichão nos pontos que começam a sarar. Se fez uma cesariana, como qualquer cirurgia invasiva, vai ter limitação de mobilidade.

Há o desconforto da subida do leite e é preciso aprender a nova rotina de alimentação, seja qual for a opção que tenha escolhido.

Há também a ansiedade muito real de se tentar ser a melhor mãe possível: assegurar a si própria que é uma boa mãe que sabe, e continuará a saber, o que é o melhor para o seu bebé. Quando consegue dormir é em curtos momentos e pode não ser o suficiente para se sentir descansada. Tudo isto, numa altura em que está a aprender a conhecer o seu bebé e se sente obrigada a satisfazer todas as suas necessidades.

Todos estes aspetos da maternidade exigem energia e listamo-los aqui para que fique descansada sabendo que existem razões de sobra para se sentir com um cansaço descomunal e para quebrar os códigos de silêncio sobre o que são as primeiras semanas com um recém-nascido.

Saiba que vai chegar o momento em que o cansaço desaparece. A maior parte das mães sentiu-se igual a si, por isso tente não se recriminar demasiado. Estar cansada não é um sinal de fraqueza ou de incapacidade da sua parte. Está a sair-se bem nestes primeiros dias da maternidade que são naturalmente desgastantes.

Acho que o primeiro mês é o pior. É ligeiramente menos difícil nos segundos e terceiros meses. Mas, para mim, começou a ser mais fácil a partir do quarto mês.

Petra, mãe de um bebé de seis meses.

Estar de plantão 24 horas por dia 7 dias por semana é difícil, por isso, pode ser enfurecedor ouvir os outros dizer-lhe para descansar quando o seu bebé estiver a descansar. No entanto, o descanso é muito importante, então, como pode ultrapassar estes primeiros tempos?

  • Reconheça para si própria e publicamente que está muito cansada: tente não deixar que as outras pessoas, ou até você própria, a convençam a ignorar o sentimento muito real de desespero que a falta de sono pode provocar. Amar o seu bebé não implica que tenha que fingir que todos os minutos são um mar de rosas.
  •  Peça ajuda: para ser uma boa mãe não tem de ser perfeita. Muitos amigos e familiares querem ajudá-la mas podem não saber como, por isso, diga-lhes ao certo do que precisa. É o momento para dizer: “Podes ajudar-me a estender a roupa lavada?”
  • Coma bem e tome um suplemento multi-vitamínico para lhe dar mais energia: Nas primeiras semanas peça aos seus amigos e familiares para lhe trazerem doses maiores de comida preparada que pode dividir e congelar.
  •  Tente descansar enquanto o seu bebé dorme: faça-o sempre que puder. Pequenos momentos de descanso vão reduzir a perda de energia. Isto não é um capricho ou indiferença. Você tem de descansar para recuperar fisicamente e poder enfrentar as novas exigências destes tempos.

Por vezes o que parece cansaço pós-parto pode ser mais qualquer coisa. Se o seu cansaço se prolonga e não vê melhoras, pode tratar-se de depressão pós-parto, um desequilíbrio hormonal como o hipotiroidismo ou a falta de minerais como o ferro. Você é quem se conhece melhor e também vai saber se alguma coisa não estiver bem, por isso, não tenha medo de falar com a sua enfermeira parteira ou o seu médico.

É como uma mãe recente nos disse:

Parece uma cruel partida que assim que tivemos o nosso pequeno milagre, o nosso corpo tenha um colapso físico! Porque não produzir um pouco mais de adrenalina para nos ajudar a superar os primeiros seis meses?

Cyndi, mãe de um bebé de 8 semanas.

Com dexpantenol. Para prevenção e tratamento do eritema da fralda e gretas do mamilo, pele seca, áspera ou gretada e cicatrização de lesões e irritações da pele. Contra-indicado no caso de sensibilidade a qualquer componente. Medicamento não sujeito a receita médica. Leia cuidadosamente o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o médico ou farmacêutico. L.PT.MKT.DC.12.2016.0113