Lidar com os Baby Blues

Dar à luz é um dos momentos mais felizes da sua vida, mas ter de se ajustar rapidamente a ser mãe, passar pelo turbilhão hormonal que lhe está associado e aguentar o cansaço podem levá-la a sentir-se, por vezes, em baixo e deprimida.

Mas não se preocupe, estes sentimentos – conhecidos como os Baby Blues - são muito comuns. Eles surgem na primeira semana depois do parto. Com o apoio do seu parceiro, da sua família e algum descanso, normalmente desaparecem ao fim de alguns dias.

No entanto, uma em cada dez mulheres pode desenvolver um tipo de depressão mais grave, conhecida por depressão pós-parto. Esta começa algumas semanas após o parto e pode requerer cuidados médicos.

Tem Baby Blues?

Cerca de metade das novas mães sofre uma versão muito ligeira de depressão chamada Baby Blues e que pode começar no dia em que se inicia a produção de leite, poucos dias depois do parto.

Pensa-se que as causas estejam relacionadas com o turbilhão hormonal da mulher e a exaustão física causada pelo parto e por ter de tomar conta do bebé 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Entre os sintomas incluem-se:

  • Choro: Chorar por nenhum motivo em particular.
  • Ansiedade: Pode sentir-se preocupada com a saúde e os padrões de sono e de alimentação do seu bebé, ou simplesmente sentir-se sobrecarregada com a responsabilidade de ser mãe.
  • Cansaço e fadiga: Não ter energia e sentir-se sobrecarregada até com as tarefas mais básicas.
  • Irritabilidade: Zangar-se por tudo e por nada com o seu parceiro ou familiares.

 

Pode-se evitar os Baby Blues?

Apesar de não se poder fazer nada quanto às alterações hormonais, ler sobre elas para perceber de onde vem esse sentimento de tristeza pode ajudar.

Também faz sentido tentar descansar o mais possível e tentar não fazer demasiadas coisas. Lembre-se também que deve comer devidamente para não se sentir fatigada. Poderá ser útil falar com amigas que tenham passado pelos Baby Blues e saber o que pode esperar.

 

Sobreviver aos Baby Blues

Segundo os peritos este é apenas um período de reajustamento que deve passar rapidamente. Agarre-se ao facto de tantas outras mães sentirem a mesma coisa. Não há nada de errado consigo.

O melhor conselho é mesmo descansar o mais possível. Claro que tem de tomar conta do seu bebé, mas adie algumas visitas e aceite ofertas para a ajudarem com a cozinha, as compras e o tratamento da roupa.

Desabafe com alguém que lhe é próximo que sabe que a vai apoiar e que não vai fazer julgamentos sobre a forma como se sente. Falar sobre isso pode mesmo ajudar, bem como chorar no ombro dessa pessoa, se for preciso.

Faça sestas enquanto o seu bebé dorme durante o dia para recarregar energias. Verifique que come bem e de forma saudável e faça as refeições em intervalos regulares.

 

Como reconhecer a depressão pós-parto

Se os sintomas da depressão persistirem ou começarem duas a oito semanas depois do parto, pode estar a sofrer de depressão pós-parto.

Alguns dos sintomas são:

  • Depressão: Sentir-se em baixo, desesperada, sobrecarregada, infeliz ou triste, sem motivo aparente.
  • Cansaço: Pode sentir-se incapaz de realizar as mais básicas tarefas domésticas e ter desistido de se vestir.
  • Ansiedade: Preocupa-se com a saúde do seu bebé ou até a sua, e sente dores para as quais o médico não encontra explicação.
  • Ataques de pânico: Pode sentir-se em pânico e incapaz de manter a calma em situações do dia-a-dia.
  • Pensamentos obsessivos: Pode ficar obcecada com uma determinada pessoa, situação ou actividade, ou preocupar-se porque pode magoar alguém – especialmente o seu bebé.
  • Distúrbios de sono: Pode ter uma má qualidade de sono, acordar de madrugada ou acordar frequentemente durante a noite.

 

O que fazer se tiver depressão pós-parto

Consulte o seu médico que a aconselhará sobre os tratamentos mais adequados. Alguns deles podem ser acompanhamento psicológico, terapia cognitivo-comportamental (uma terapia em que através de conversas será encorajada a pensar de forma positiva para resolver os problemas) e/ou tratamento com medicação.

Obtenha ajuda e apoio de amigos e familiares e desabafe com alguém que a vai apoiar. Peça ao seu parceiro para a ajudar com a alimentação do bebé durante a noite, coma regularmente, descanse o máximo possível e acredite que vai melhorar.

Não deixe de sair. Faça um esforço e descubra um grupo local de mães e bebés onde possa encontrar apoio e novas amizades.

Com dexpantenol. Para prevenção e tratamento do eritema da fralda e gretas do mamilo, pele seca, áspera ou gretada e cicatrização de lesões e irritações da pele. Contra-indicado no caso de sensibilidade a qualquer componente. Medicamento não sujeito a receita médica. Leia cuidadosamente o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o médico ou farmacêutico. L.PT.MKT.DC.12.2016.0113